quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

COMO ELABORAR UM RELATÓRIO DE QUÍMICA


Como elaborar um relatório
Física e Química A1


O RELATÓRIO

Os resultados das suas actividades práticas podem ser importantes para outras pessoas.
Deve, por isso, elaborar um relatório para os apresentar.
O seu caderno de notas deve conter toda a informação necessária de forma acessível
para si. O relatório final deve continuar a ter toda a informação, mas organizada de forma acessível para o leitor médio.
Para a apresentação de um relatório experimental deve seguir algumas regras básicas
tais como sejam...
1. O primeiro componente do relatório deve ser a introdução, onde é indicado o objectivo, o interesse do trabalho e ainda informação teórica que se julgue pertinente para fundamentar o trabalho prático. A introdução pode não ser o primeiro texto a escrever, mas deve aparecer no começo do relatório para ajudar o leitor, antes de entrar no tratamento detalhados dos resultados experimentais.
2. A introdução deve ser seguida da descrição do material e dos métodos utilizados, basicamente, a descrição de como consegue obter os seus dados.
Na descrição do método será útil chamar à atenção para os princípios envolvidos nas medições e para algumas precauções ou técnicas especiais que tenha usado.
3. O Ponto Central do relatório são os dados experimentais. Vale a pena ter alguma preocupação na organização dos dados. Sempre que possível, mesmo que os dados sejam qualitativos, use tabelas.
4. Um gráfico deve ser usado para mostrar a relação entre duas quantidades. Os gráficos devem ser acompanhados por tabelas de dados, correctamente identificadas. É importante a inclusão de todos os dados originais no seu relatório.
5. Todas as tabelas, gráficos, esquemas devem ser identificadas, legendados e referenciados no texto.
6. A discussão de resultados deve incluir suposições, estimativas e comentários às limitações dos aparelhos. Nesta fase, é uma boa ideia fazer sugestões para melhorar a organização do trabalho experimental para reduzir erros e de como se deve investigar o fenómeno em estudo de forma completa e ampla. Caso seja apropriado, assegure-se da inclusão das discussões de descobertas inesperadas e da comparação dos seus resultados com os dados da teoria.
7. A argumentação e o raciocínio que apresenta na discussão devem estar de acordo com a possibilidade de serem seguidos por pessoas sem grande preparação no assunto. É melhor usar termos simples que todos compreendam do que expressões que pode aplicar erradamente. Evite palavras e informações desnecessárias. Seja conciso, evite irrelevâncias ou repetições.
Releia o seu relatório, criticamente, algumas horas depois de o terminar, para ter a certeza de que ele é de fácil leitura e que contém exactamente o que você queria dizer. Nesta altura, as mudanças a introduzir serão melhorias.
8. Deve apresentar a conclusão da sua experiência de modo sumário. Ela deve ter a forma de uma generalização verbal ou de um resultado numérico com a respectiva estimativa da percentagem de erro.
Se estudar as informações envolvidas numa reacção química, deve expressar as conclusões sob a forma de uma equação química. Se estudar a relação entre medidas quantitativas (por exemplo distância e tempo) deve incluir uma equação que relacione as quantidades em estudo.
9. Finalmente deixe-nos acentuar que o seu relatório deve ser um relato fiel e total do que fez.


REGRAS PARA ESTRUTURAR UM RELATÓRIO

Capa
· Nome da Escola
· Título - curto e preciso
· Nome do autor(es), ano e turma
· Nome do docente da disciplina
· Data


Objectivo

· Definição dos objectivos a alcançar



Introdução
• Esta secção deve incluir, de forma sumária, o problema em estudo enquadrado no seu conhecimento (resultado de pesquisa bibliográfica) e a justificação do seu estudo


Metodologia / Procedimento Experimental
• Material utilizado
• Descrição detalhada e explícita da metodologia realizada para execução do trabalho, de forma a permitir a repetição correcta dos ensaios.


Apresentação dos resultados

· Devem ser apresentados sem quaisquer comentários interpretativos
· Utilizar de preferência: Tabelas, gráficos, esquemas, figuras, etc.


Discussão dos resultados/ Conclusão

· É feita a análise e interpretação dos resultados, tendo em vista os objectivos inicialmente definidos.
· Faz-se a apreciação dos resultados, incluindo a resposta ao problema. Por vezes, sugerem-se novas investigações para acabar de responder ao problema, se este não ficar completamente esclarecido.


Anexos

· Engloba um conjunto de documentos, não elaborados pelo autor e que fundamentam o trabalho de pesquisa.


Bibliografia

· Indique a lista de livros ou outro material consultado, para realização do trabalho Ex: Allégre, C. (1998). A Espuma da Terra. Lisboa: Gradiva


Adaptado de:
Hall, W.; Keynes, M. (1986). The Handling of Experimental Data.London: The Open UniversitY Press

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Como pesquisar na Internet de forma eficaz

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. LOURENÇO PORTALEGRE
BE/CRE

Como pesquisar na Internet de forma eficaz

Na Internet pode encontrar-se muita informação, mas se usarmos algumas técnicas, podemos poupar algum tempo.
Na página http://e-criar.sapo.pt/ encontra-se informação sobre como PESQUISAR de forma eficiente na Internet.
Guia orientador de pesquisa

DEFINIR
De que assunto quero saber mais?
O que pretendo saber?
A que perguntas quero responder no meu trabalho?

LOCALIZAR A INFORMAÇÃO

Onde posso encontrar o que pretendo?
Que recursos existem na escola e que eu posso usar?
Preciso de outros recursos para além dos existentes na escola?
Onde os posso encontrar?
Quais os recursos que são adequados à minha idade?
Como posso encontrar o que pretendo?

CLASSIFICAR

O que encontrei?
Onde fui buscar a informação? (bibliografia consultada ou registo de outras fontes)

SELECCIONAR
-1ª leitura
Da informação que encontrei, o que é importante para este trabalho?
O que devo sublinhar e retirar para uma folha?

ORGANIZAR/ SINTETIZAR / RESUMIR
- 2ª leitura
O que posso fazer para o meu trabalho não ser uma cópia? (Como posso dizer as ideias essenciais em menos espaço e como posso dizer por palavras minhas o que aprendi?)
O que concluí?
Como vou organizar a informação?
Quanto tempo tenho?

AVALIAR
Que tal está o trabalho?
Como posso melhorá-lo? (no conteúdo e na apresentação)

REFLECTIR
O que aprendi?
O que me ficou do que li?
Sei mais do que o que sabia sobre o assunto?

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

BIG 6



Big6 é um dos modelos mais usados para o desenvolvimento de competências ao nível da informação e tecnologias. Criada por Mike Eisenber e Bob Berkiwitz, a Big6 (Grande 6?) pretende estimular a literacia neste domínio e está implementada em muitas escolas dos EUA, em todos os níveis de escolaridade.

Através deste modelo, os alunos conseguem ultrapassar qualquer tipo de problemas, decisões ou tarefas através de uma estratégia de resolução de problemas baseada na informação.

Os estágios deste modelo são seis, daí o nome de BIG6:

1. Definição da Tarefa

2. Estratégias de procura de Informação

3. Localização e acesso a Informação

4. Utilização da Informação

5. Síntese

6. Avaliação




SUGESTÕES PARA FAZER UM TRABALHO ESCRITO

De uma maneira geral, um trabalho deverá ter a seguinte organização :



1. CAPA;

2. ÍNDICE;

3. INTRODUÇÃO;

4. DESENVOLVIMENTO;

5. CONCLUSÃO;

6. BIBLIOGRAFIA.



CAPA - Fazem parte da capa os seguintes elementos:

Nome da escola;
Disciplina ou área a que se destina;
Título do trabalho;
Identificação do(s) autor(es) :
Nome do aluno ou grupo de alunos que elaboraram o trabalho;
Ano, turma e número(s);
Ano Lectivo em que o trabalho foi feito.





ÍNDICE ---- No índice apresentam-se os capítulos e subcapítulos do seu trabalho com as correspondentes páginas. Deve apresentar-se o nome ou a designação das partes que constituem o seu trabalho. A cada uma delas corresponderá uma numeração. Os títulos e subtítulos devem aparecer, ao longo do trabalho, com a mesma numeração e o mesmo tipo de letra com que foram apresentados no índice.

3. INTRODUÇÃO - A introdução é uma apresentação sumária do seu trabalho e deverá conter resumidamente o que vai tratar e como o irá fazer. Quem vai ler o seu trabalho, logo na introdução deverá ficar com uma ideia daquilo que irá encontrar.

4. DESENVOLVIMENTO - O desenvolvimento, também chamado corpo do trabalho, é a parte mais extensa deste. Nele deve apresentar o tema, os problemas a partir dele levantados, a argumentação utilizada e as respostas a que chegou. Deve apresentar, de igual modo, os objectivos e as razões que o(a) levaram a tratar esse tema/problema. Para tal, procure responder às seguintes questões: --- Por que é que eu resolvi fazer este trabalho ? --- Para quê ? --- O que é que eu pretendo saber ou alcançar ?

5. CONCLUSÃO -- A conclusão é como que o resumo do seu trabalho. Enquanto que ao longo do desenvolvimento se preocupou em apresentar as questões e as diferentes fundamentações devidamente encadeadas de modo mais ou menos exaustivo, a conclusão deve dar ao seu leitor uma visão de conjunto.

6. BIBLIOGRAFIA - Deverá seguir as normas que a seguir se apresentam. Comecemos pelos livros : 1- Nome do autor: apelido em maiúsculas, vírgula, nome próprio. 2 – A seguir ao nome do autor é colocada a data em que o livro foi editado, entre parêntesis. 3 – Em seguida coloca-se o título da obra, seguido de ponto. Este deve apresentar-se sublinhado ou em itálico e em maiúsculas. 4 – Após o título da obra surge o número da edição, o local de publicação: a cidade, dois pontos e depois a editora. No caso de se tratar de um periódico (jornal ou revista ) temos os seguintes elementos: 1.Nome do autor; 2.Ano da publicação, entre parêntesis( ); 3. Título do artigo, seguido de ponto( . ) ; 4. Título da publicação, sublinhado ou em itálico; 5. Data e Número da publicação; 6.Localização do artigo no periódico, isto é, as páginas que ocupa.

ELABORAR A BIBLIOGRAFIA

1- Autor (primeiro o apelido)

2- Título (sublinhado ou em itálico)

3- Número de edição

4- Local de edição

5- Editora

6- Data


Ex: FERREIRA, Vergílio. Aparição. 4ª ed., Lisboa, Bertrand, 1992.


Ex: HIERNAUX, Jean. A Diversidade Biológica Humana. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1998.



(Nota: procura estes elementos na capa, contracapa e no interior do livro)


Se tiveres dúvidas na elaboração da bibliografia, consulta o seguinte livro:


CEIA, Carlos. Normas para Apresentação de Trabalhos Científicos. 3ª ed., Lisboa, Editorial Presença, 2000.


Está na biblioteca à tua espera!

COMO SE FAZ UM COMENTÁRIO A UM TEXTO

1- LER atentamente o texto: as vezes que forem necessárias até o compreender. Pelo menos duas vezes, mesmo que seja de fácil compreensão;

2- À medida que se lê o texto, devem APONTAR-SE os conceitos e palavras/vocábulos dos quais não conhecemos o significado;

3 - Depois de lido o texto (as vezes que forem necessárias), CONSULTAR UM DICIONÁRIO E/OU UMA ENCICLOPÉDIA, no sentido de encontrar as respostas a todas as palavras e expressões que dificultavam a compreensão daquele;

4 -IDENTIFICAR se é um texto autónomo e independente ou se é um excerto de um texto (um texto completo ou parte de... );

5 - IDENTIFICAR o género literário a que o texto corresponde (se é prosa, se é poesia, que tipo de poesia, etc... );

6 - INDICAR o tema do texto, ou seja, a ideia fundamental do mesmo;

7 - Para a compreensão de um texto é, muitas vezes, necessário DIVIDI-LO em partes;

8- Se se tratar de um texto de opinião e for exigido um COMENTÁRIO CRÍTICO do texto, é necessário contra-argumentar e discutir as ideias do seu autor;

9- Depois de seguires estes passos, deves elaborar o comentário, discutindo as ideias do autor do texto, recorrendo a argumentos e a exemplos.

COMO ELABORAR UM COMENTÁRIO A UM FILME

Dados completos do filme:


Sinopse (resumo), História, Locais da acção, Personagens, Curiosidades, Ficha Técnica e Opinião.


a) Sinopse (resumo) - Um máximo de cinco linhas que resuma o filme.
(Poucas linhas que devem dar uma ideia geral de toda a história.)


b) História - Esta é a parte maior do texto (25/30 linhas). É desejável que o texto não conte o final da história, de forma a despertar a curiosidade do leitor.


c) Locais da acção - Parte geralmente muito pequena, (5 a 10 linhas), pois é uma breve descrição dos locais onde se passam a acção (País, cidades, etc).


d)Personagens – Personagens que participam na história.


e) Curiosidades - Fica ao critério de quem elabora a crítica ao filme: podem ser coisas curiosas da história, das personagens, incongruências no argumento, falhas na arte, etc.


f) Ficha Técnica – Título do filme, ano, realizador, argumento, elenco, produtor, género, duração, prémios, nomeações.


g) Opinião - Opinião sobre o filme.