domingo, 17 de abril de 2011

CRISTOVAM

 

Barro vermelho como sangue,

Lágrima da mais pura água…

Nesta matéria abençoada,

Humildemente, ardentemente,

Tacteio meu tempo e minha dor.

Cristovam Pavia

Sem comentários:

Enviar um comentário