segunda-feira, 7 de março de 2011

TECIDOS

 

Meu corpo

é um tear vertical

onde deixaste cruzadas

as cores da tua vida: duas faixas  um losango

marcas da peste.

Meu corpo

é uma floresta fechada

onde escolheste o caminho

Depois de te perderes

guardaste a chave e o provérbio.

Ana Paula Tavares, Dizes-me Coisas Amargas como os Frutos

Sem comentários:

Enviar um comentário